close
Amigas – ser boazinha não é sinal de fraqueza

Eu sou uma pessoa que recebe o rótulo de boazinha. Eu trato as pessoas com educação e ajudo sempre que possível. Isso pra mim é o mínimo que as pessoas deveriam fazer umas com as outras, mas infelizmente não é isso que acontece. Aí recebo o adjetivo “boazinha”.

Eu tento me livrar dele falando uns palavrões aqui e ali, falando que quero matar pessoas de tempos em tempos e outras coisas, mas não tem como: o boazinha me persegue. Uma vez reclamei disso pra minha mãe, que odiava ser chamada de boazinha, e ela ficou abismada: pra ela isso é uma coisa maravilhosa. Pra mim, era só chata e sem graça mesmo.

Mamis resolveu contar essa história pra irmã mais velha dela e um momento mágico aconteceu: minha tia disse que me entende exatamente por ter passado por isso a vida dela inteira! Na hora eu só consegui falar um O-BRI-GA-DA com todas as suas vogais e me sentir grata por mais alguém me entender.

Minha tia é uma lady, uma pessoa educada e muito fina. Mas até ela ficou cheia com essa história de boazinha. Parece que as pessoas nos acham fracas, parece que não temos nada demais a oferecer.

Por muito tempo eu pensei: “eu não quero ser boazinha. Quero ser incrível, inesquecível, poderosa, praticamente um trator! Boazinha é coadjuvante, poderosa é quem manda em tudo e sai ganhando.”

Mas aí, a vida vai acontecendo e você muda de ideia, graças a Deus. Hoje eu percebo que o meu “fator boazinha” é visto, para as pessoas que importam pra mim, como algo admirável. Encontrei pessoas do tipo “trator” pela frente e, sinceramente? Algumas são ok, mas a maioria é detestável.

Longe de mim falar que você não deve lutar pelos seus objetivos, mas fazer disso uma obsessão, passando por cima das outras pessoas não te faz um vencedor. Só te faz um babaca insuportável mesmo. Vencer sozinho não tem a menor graça.

Ser boazinha hoje é mais sobre ser bondosa, gentil, se preocupar com o próximo, ficar feliz por ele e ajudar quando possível. (Não que eu seja tudo isso, não me entendam mal, mas esses são valores que eu realmente procuro viver).

Eu quero que meus futuro filhos vivam em um mundo mais gentil. Eu quero que eles tenham com quem contar e que eles próprios ajudem e se preocupem com os outros. Eu quero que eles tenham a bondade como um objetivo, muito mais do que fama e sucesso.

Ter bondade no coração não é um defeito. Sendo assim, se você também está de saco cheio de ser chamada de boazinha (ou fofinha, dá na mesma) pare um pouquinho e perceba de onde vem esse comentário. Você vai perceber que tem no seu coração algo importante e que está muito em falta no mundo hoje: compaixão.

Tags : boazinhabondadefelizgentileza
Ana Claudia

The author Ana Claudia

Jornalista, blogueira e batata-frita friendly. Adoro escrever sobre pessoas inspiradoras, ideias bacanas e coisas fofinhas. Sou uma pessoa legal, exceto quando estou com fome =x

4 Comments

  1. Ounnnn adorei essa matéria <3
    Esse é um rótulo que eu gostaria de ter. O meu é o de quietinha/anti-social/muito na minha. Às vezes tento mudar isso, às vezes desisto, às vezes me sinto bem com ele, às vezes odeio ahahaha.
    Mas fico feliz que você tenha feito as pazes com o boazinha, e espero que mais pessoas assim tenham essa visão. Gentileza, compaixão e empatia nunca são demais no mundo <3

    1. Foi difícil, mas acabei entendendo haha (Mas ainda é meu hobby responder que “boazinha é o cacete” hauahuhauahu Como você pode ver, sou uma pessoa muito fina =p)

      Rótulo é chato, mas se a gente parar pra tentar entender de onde eles vem, a gente acaba tirando alguma lição boa =)

      Bjs!!

Leave a Response